Goku, Naruto, Hiroshima e Nagasaki


De vez em quando, após assistir ao episódio de seu anime favorito, pare e preste uma homenagem as cidades de Hiroshima e Nagasaki.

Você, que está acompanhando a nova série de Dragon Ball; Você, que assistiu ao final de Naruto; Você, que assistiu Akira e A lenda do demônio nas madrugadas da Band; Você, que discute as influências de Ghost in the Shell e Cowboy Bepop; Você, que está acompanhando a temporada do verão de 2015; ‘Vocês’ e tantos outros ‘vocês’ deveriam, às vezes, prestar algum tipo de homenagem – nem que seja uma oração – para as cidade de Hiroshima e Nagasaki.

hiroshima600x400

O motivo? Sem o sacrifício delas, não existiria anime. Por quê? Para te explicar melhor eu preciso arranhar a história do mundo.

A Segunda Guerra Mundial

Em maio de 1945, a Alemanha nazista assinou o acordo de rendição. Seria o fim da guerra, se o Japão não quisesse continuar a batalhar, nem tão firme, nem tão forte. Em julho de 1945, os Estados Unidos, o Reino Unido e a China pediram a rendição incondicional do Japão, o que não ocorreu. Em retaliação, os americanos decidiram lançar duas bombas atômicas em cidades do Japão.

Por conta de uma série de eventos, os americanos lançaram uma bomba atômica de urânio na cidade Hiroshima, em 06 de agosto de 1945. No dia 09 de agosto de 1945, eles lançaram uma bomba atômica de plutônio na cidade de Nagasaki. Ainda assim, o Japão queria continuar. A Rússia declarou guerra ao Japão. Mesmo assim, muitos vozes ainda clamavam por guerra.

Foi quando o Imperador Hirohito falou mais alto que todos, e declarou a rendição do Japão.

O pós-guerra

Após a guerra, o Japão decidiu jogar fora o militarismo e o ultra-nacionalismo, para abraçar o estudo e o trabalho. A população foi alfabetizada e incentivada a estudar. Posteriormente, o trabalho se tornou a coisa mais importante para um japonês. A tecnologia floresceu. O Japão caminhava para se tornar o que conhecemos hoje.

Os japoneses liam. Liam muito. Liam em casa, na escola, no trabalho, e, principalmente, a caminho do trabalho. A principio, quase toda a leitura era relacionada ao estudo. Com o tempo, os japoneses queria ao mesmo tempo se divertir e não parar de ler. Foi então que redescobriram o mangá.

O mangá já existia há séculos, mas se tornou uma das principais formas de lazer. Isso ocorreu uma vez que quase toda a população japonesa sabia ler. Além disso, conforme a se criou a industria do mangá, aqueles que trabalhavam com essa arte decidiram expandir seus horizontes. Se tinham crianças querendo ler mangá, criariam mangá voltados para crianças. Se tinham adolescentes querendo ler mangá, criariam mangá voltados para adolescentes. Se tinham trabalhadores assalariados querendo ler mangá, criariam mangá voltados para trabalhadores assalariados.

Enfim, criaram mangás para todos os tipos de pessoas – e gêneros.

Resumindo, os animes vieram do mangá. O mangá só se tornou um sucesso porque os japoneses decidiram buscar uma forma de lazer dentro de sua rotina de trabalho e estudo. Essa rotina surgiu porque o Japão busca o desenvolvimento de seu país. E essa postura surgiu porque as cidades japonesas de Hiroshima e Nagasaki foram atingidas com bombas atômicas.

Por isso, as vezes, depois de assistir o novo episódio de Dragon Ball, ou o filme sobre o filho do Naruto, lembre-se de Hiroshima e Nagasaki.

narutocry600x400

gokupay600x400

Fonte: Mangá: o poder dos quadrinhos japoneses, de Sonia Maria Bibe Luyten [Comprem o livro de descubram mais histórias]

P.s.: Estou surpreso por não ter conseguido encontrar nenhuma imagem com personagens de anime/mangá rezando ou prestando homenagens a Hiroshima e Nagasaki.

O que você achou dessa ligação? Deixe seu comentário com suas considerações, sugestões ou mesmo reclamações, que podem se tornar um novo post! Além disso, você pode fazer sua pergunta na nossa página especial de contato!

Comentários

Comentários

Deixe uma resposta