Os piratas realmente faziam as pessoas andarem na prancha?


Qual a verdade sobre um dos conceitos mais utilizados na cultura pop?




Andar na prancha

O nome pirata vem do grego “assaltar”. O pirata é um marginal autônomo que pode ou não se organizar em grupos para saquear e pilhar navios e a cidades.

O conceito do pirata acabou por se tornar um lenda em diversos países do mundo, e até mesmo acabou ganhando várias interpretações no mundo do entretenimento. Dentre as mais diversas lendas sobre piratas, talvez uma das mais lembradas é a de colocar pessoas para andar na prancha.



Apesar de ser uma ideia muito comum em filmes e desenhos, a ideia de andar na prancha quase nunca passava na cabeça dos piratas. Na verdade só existe um único relato oficial de que alguém tenha sido obrigado a andar na prancha. Os piratas prefeririam muito mais torturar prisioneiros até uma eventual morte, sendo algumas de suas torturas preferidas queimar suas vítimas, cortar partes de seus corpos, ou até mesmo amarrar a vitima nua e jogá-la ao mar, prendendo a corda na lateral do navio – numa espécie de esqui macabro -, para que ela se cortasse nos corais que cresciam nos navios. O pirata muitas vezes não matava seus prisioneiros, pois eram pedidos resgates para libertá-los.

Fonte

Comentários

Comentários

Deixe uma resposta