Pesquisa americana comprova que você pode beber cervejas após bomba atômica


Durante a Guerra Fria, o medo de uma guerra nuclear era tamanho, que determinadas experiências foram feitas para descobrir meios de sobrevivência a radiação. Algumas dessas experiências, entretanto, parecem tão absurdas que soam como piada. Em um relatório de 1957 foi descoberto uma experiência inusitada: explodir bombas atômicas em cervejas.


Fotocópia de imagem da pesquisa

Fotocópia de imagem da pesquisa

Em 1956, nos Estados Unidos, a Atomic Energy Commission – Comissão de Energia Atômica, explodiu duas bombas atômicas – respectivamente de 20 e 30 kilotons -, para saber se o conteúdo de cervejas e refrigerantes ainda podem ser consumidos após uma explosão atômica, sem risco de radioatividade. Nas fotos abaixo, você verá fotocópias de algumas páginas do relatório. Eles reuniram 4 tipos de latas e 11 tipos de garrafas de vidro de cervejas e refrigerantes armazenadas de várias maneiras – enterradas, expostas, dentro de armários, etc -, e explodiram bombas atômicas para saber se elas ainda estariam próprias para consumo.


Fotocópia de imagem da pesquisa

Fotocópia de imagem da pesquisa

O resultado da experiência é que a maior parte dos recepientes resiste as explosões e acabam ficando com quase nenhuma radiação, sendo uma excelente opção de estoque em abrigos atômicos a garrafas de água mineral. O maior problema seria o gosto, que é levemente diferente em alguns casos, enquanto outros mudam totalmente o sabor.



Fotocópia da capa da pesquisa

Fotocópia da capa da pesquisa

Se quiser ler o texto original em inglês você pode vê-lo neste link.


Comentários

Comentários

Deixe uma resposta