Como um programa de televisão mudou a história de um assassinato


Conheça a história de como um simples programa de televisão causa uma reviravolta em uma investigação de assassinato.

Estados Unidos, Missouri, abril de 1989. David e Patricia Stallings acabam de ter o seu primeiro filho, Ryan. A princípio, Ryan parecia uma criança normal, exceto pelos frequentes vômitos. Os pais, preocupados, buscaram ajuda médica, mas a ausência de diagnóstico acaba por tornar habitual tal problema.

David e Patricia Stallngs

David e Patricia Stallngs

Entretanto, no dia 07 de julho daquele mesmo ano, Patricia encontrou seu filho imóvel no berço, com dificuldade para respirar. Em pânico, Patrícia e David erraram o caminho para o Hospital Infantil de St. Louis – com o qual o casal tinha familiaridade -, e tiveram que levar Ryan para o Hospital Infantil Cardeal Glenon. Ryan foi internado e teve de ficar em um respirador. E assim, iniciou-se uma série de eventos que mudaria a vida dos Stallings.

O envenenamento por etilenoglicol

No terceiro dia do internamento de Ryan, policiais começaram a fazer perguntas aos Stallings. O motivo seria que exames realizados no hospital indicavam a presença de etilenoglicol no sangue da criança. Acontece que etilenoglicol é uma substância extremamente tóxica de sabor doce, utilizada em anticongelantes, e que há poucos anos tinha sido utilizado para envenenar crianças. A policia, portanto, acreditava que David e Patricia tinham envenenado Ryan.

Ryan Stalling

Ryan Stalling

Por dias, investigadores interrogaram o casal das mais diversas maneiras. No décimo-segundo dia internado, a justiça decidiu que Ryan ficaria em um lar temporário, e que David e Patrícia só poderiam vê-lo apenas uma hora por semana, sob pesada supervisão. No dia 31 de agosto, Patrícia fora deixada a sós com Ryan por breves momentos, enquanto era feito o alimento especial do bebê. Na frente de todos, Patrícia alimentou Ryan. Quatro dias depois, Ryan fora hospitalizado novamente, em estado grave. Patrícia fora presa, acusada do assassinato de seu próprio filho. David pode continuar ao lado do filho até 07 de setembro, quando Ryan faleceu.



David Jr e a AMM

Em Outubro, enquanto estava presa e aguardando julgamento, Patrícia descobriu que estava grávida. Enquanto David lutava para liberta-la, em Fevereiro de 1990, Patrícia dava a luz a David Jr, ou simplesmente DJ, que prontamente fora levado para um lar temporário. Duas semanas depois, DJ fora levado ao hospital com os mesmos sintomas de Ryan. Desta vez, DJ fora levado ao Hospital Infantil de St Louis, onde fora descoberto que ele tinha acidemia metilmalônica, ou simplesmente AMM, uma rara condição genética, que dificulta a absorção de proteínas e cria ácido propanoico no estomago. Ácido propanoico este que só possui um átomo de carbono a mais que o etilenoglicol.

David, Patricia e DJ

David, Patricia e DJ

As similaridades das doenças de Ryan e DJ foram levadas ao julgamento de Patrícia, mas graças a aparente incompetência de seu advogado, o promotor George McElroy considerou que o fato não tinha nenhuma relevância ao caso. Este fato, em conjunto a uma série de depoimentos dos investigadores e a falta de testemunhas de defesa – mais uma vez creditadas a incompetência do advogado -, fizeram com que o júri condenasse Patrícia, que fora sentenciada a prisão perpetua, sem possibilidade de perdão.

O programa de TV

A história de Patrícia passa por uma reviravolta por conta de uma programa de televisão americano, chamado Unsolved Mysteries, voltado para reconstituições de casos misteriosos. O programa teve um episódio dedicado à história dos Stellings, o qual chamou a atenção do bioquimico William Sly, da Universidade de St Louis. Ele decidiu testar o sangue de Ryan, preservado em uma amostra congelada, e o levou a James Shoemaker, PhD, diretor do laboratório de triagem metabólica da mesma universidade. O resultado foi a confirmação de que Ryan tinha AMM. Não somente isso, foram encontrados vários erros no exame que detectou a presença de etilenoglicol. James, então, decidiu mandar amostras para várias clínicas, e ficou surpreso ao saber que várias chegaram a mesma conclusão errada.

William Sly

William Sly

Com os resultados em mãos, William e James procuraram George McElroy, que não aceitou os fatos que eles apresentaram. Entretanto, aceitou entrar em contato com Dr Piero Rinaldo, professor de genética de Yale, uma das mais prestigiadas faculdades do país. Após seis semanas de analise, os resultados confirmam que Ryan morreu por causa do AMM, além de encontrar erros grosseiros nos testes usados para acusar Patricia de assassinato. Isso finalmente convenceu McElroy.

Em julho de 1991, Patrícia sai da prisão, mas fica no regime de prisão domiciliar, enquanto aguarda um novo julgamento. Finalmente, em setembro do mesmo ano, Patrícia finalmente é inocentada do assassinato que nunca existiu, se reecontra com David e tem seu filho DJ de volta.

O fim

Os Stallings decidiram processar o judiciário, o hospital e os especialistas responsáveis pelos teste de Ryan. Eles ganharam o processo e se esconderam no anonimato, para poder criar DJ em paz. Em 1994, George McElroy concorria em uma eleição, quando os Stallings doaram 10 mil doláres para Robert Wilkins, o principal oponente de McElroy, que acabou ganhando a eleição.

George McElroy

George McElroy

Anos depois, Patrícia e David se separaram, mas continuaram cuidando de DJ. Infelizmente, David Jr veio a falecer em 17 de setembro de 2013, aos 23 anos.

O que você achou da história de Patrícia Stalling? Se você gostou, dê um like na sua rede social preferida nos botões aqui embaixo! Você também pode deixar seu comentário com suas considerações, sugestões ou mesmo reclamações, que podem se tornar um novo post! Além disso, você pode entrar em contato pelo nosso grupo do Telegram! Link no inicio da página!

Fontes

Today I Learned

Wikipedia

Unsolved Mysteries Wikia

Forensic Files Medical Mysteries

Comentários

Comentários

Deixe uma resposta